30 de dez de 2010

Filme: Um quarto em Roma


Em um quarto, por 12 horas, duas mulheres vivem momentos de prazer, paixão, confissões e intimidade. Deixam-se levar uma no terreno desconhecido da outra, até se descobrirem nesse curto período um Amor completamente novo. Filme sensível, delicado, doce e envolvente.
Não é um filme sobre certezas, mas sobre dúvidas. Sobre duas almas que buscam, na noite final, um sentimento de libertação. 
Me fez pensar sobre como em tão pouco tempo, duas pessoas podem atingir tanta cumplicidade, afeição e necessidade. Acredito piamente nessa possibilidade, não é só em filmes que isso pode acontecer, mas é um encontro raro. Infelizmente!
Pensei também se o Amor não é feito apenas de um momento e depois tudo acaba, uma ilusão grandiosa, ou se é o maior de todos os presentes de Deus.
É um belo filme!
Não é que acordei me achando hoje? Agora neguinho me trata mal e eu não deixo. Agora neguinho quer me judiar e eu mando pastar. Dei de achar que mereço ser amada.

23 de dez de 2010


Sou uma louca. Admiro grandes qualidades. Mas gosto mesmo dos pequenos defeitos. São eles que nos fazem grande. Que nos fazem fortes. Que nos fazem acordar. Acho bonito quem tem orgulho de ser gente. Porque não é nada fácil, eu sei.

10 de dez de 2010

Beijo bom é beijo decidido, mesmo que a decisão seja levá-lo devagar ao longe.

Beijo bom é beijo molhado, em que os beijadores doam tudo o que há para doar na cavidade bucal, sem assepsia, entrega absoluta.

Beijo bom é beijo sem pressa, que não foi condenado pelos ponteiros do relógio, que se perde em labirintos escuros já que, é bom lembrar, estamos de olhos fechados.

Beijo bom é beijo que você não consegue interromper nem que quisesse.

Beijo bom é beijo que não permite que seu pensamento tome forma e voe para outro lugar.

E, por fim, beijo bom é o beijo que está sendo dado na pessoa por quem você é completamente apaixonada.

Existe beijo ruim? Existe. Beijo sem alma, beijo educado demais, beijo cheio de cuidados, beijo curto, beijo seco. Mas uma coisa é certa: precisa dois para torná-lo frio ou torná-lo quente. Todo mundo pode beijar bem, basta nossa boca encontrar com quem.

(Martha Medeiros)