31 de ago de 2010

- Você acha que o nosso amor pode fazer milagres?

- Eu acho que o nosso amor pode fazer tudo aquilo que quisermos.

- É isso que te traz de volta pra mim o tempo todo.


C.F.A.

Ahhh o amor...


O amor tem o poder de transformar o que é desconcertante em intimidade. Torna o que é bobo, sagrado.

25 de ago de 2010

17 de ago de 2010

Até o momento, todos os posts foram pessoais, mas não com as minhas palavras, e hoje me deu vontade de escrever. Tava refletindo sobre o poder da música sobre mim.
Tudo começou na infância, os meus pais sempre adoraram músicas também e eu ficava ouvindo as músicas que a minha mãe cantava pra embalar a minha irmã, e acabava sendo canções de ninar pra mim também. Nesse oportunismo musical sempre ouvia Roberto Carlos, Maria Bethania e Chico Buarque... bom, deviam ter outras coisas também, mas esses eram os discos em vinil que mais tocavam em nossa vitrola.
Comecei a trabalhar na adolescência e o meu modesto salário era empregado boa parte em algum disco, me sentia muito feliz ao receber o salário e poder ir em uma loja escolher algo novo pra ouvir, era um dos motivos que me faziam trabalhar com prazer.
De lá pra cá, o meu gosto musical mudou e variou diversas vezes.... afinal, eu também tenho fases como a lua... me lembro dessas músicas como uma trilha sonora da minha vida, nelas me pego lembrando de momentos bons e outros não tão bons assim. A música também segurou várias vezes a minha mão quando eu precisava de força e me confortou outras vezes quando a força falhou.
Até hoje espero com ansiedade as próximas letras de alguns compositores que eu adoro, e ainda me maravilho com alguns intérpretes cantando uma letra que não foram feitas por eles, assim como os meus posts anteriores, mas são cantadas com tanta emoção e não importam que não sejam suas, me deleito da mesma forma, e deixo que entrem também em minha história.

PV

13 de ago de 2010

12 de ago de 2010


"Sempre acreditei que toda vez que a gente entra numa igreja pela primeira vez, vê uma estrela cadente ou amarra no pulso uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim, pode fazer um pedido. Ou três. Sempre faço. Quando são três, em geral, esqueço dois. Um nunca esqueci. Um sempre pedi: amor."

Caio Fernando Abreu

11 de ago de 2010

Você tem medo de quê?


"Eu não tenho medo do amor.
Eu tenho medo é de amar quem tem medo dele.

Amar quem teme o amor é como se apaixonar por

uma sucessão de desistências."

Marla de Queiroz

10 de ago de 2010



Aprendi que minhas delicadezas nem sempre são suficientes para despertar a suavidade alheia, e mesmo assim insisto.

Caio Fernando Abreu

Assombros

 
Às vezes, pequenos grandes terremotos

ocorrem do lado esquerdo do meu peito.

Fora, não se dão conta os desatentos.

Entre a aorta e a omoplata rolam

alquebrados sentimentos.


Entre as vértebras e as costelas

há vários esmagamentos.


Os mais íntimos

já me viram remexendo escombros.

Em mim há algo imóvel e soterrado

em permanente assombro.
 
Affonso Romano de Sant'Anna 

 

Que se há de fazer?


"Andei amando loucamente, como há muito tempo não acontecia. De repente a coisa começou a desacontecer. Bebi, chorei, ouvi Maria Bethânia, fumei demais, tive insônia e excesso de sono, falta de apetite e apetite em excesso, vaguei pelas madrugadas, escrevi poemas (juro). Agora está passando: um band-aid no coração, um sorriso nos lábios – e tudo bem. Ou: que se há de fazer."

Caio Fernando Abreu