26 de jan de 2012

  • Um foda-se pra tudo, todos, toda e qualquer história que me faça mal, que me deixe triste, roube minha energia, me paralise. Porque como eu costumo dizer, vida é só essa mesmo e é pra se ter alegria. ALEGRIA. Fim.

25 de jan de 2012

Same mistake!

"Há pessoas que nos fazem voar. 
A gente se encontra com elas
 e leva um bruta susto. 
Primeiro, porque o vento começa
 a soprar dentro da gente
e lá, de cantos escondidos de nossas montanhas
 e florestas internas, aves selvagens 
começam a bater asas, 
e a gente não sabia 
que tais entidades mágicas
 moravam dentro de nós, 
e elas nos surpreendem, 
e nós nos descobrimos mais selvagens, 
mais bonitos, mais leves, 
com uma vontade incrível 
de subir até as alturas, saltando, 
saltando de penhascos, 
pendurados numa asa-delta 
(acho que o nome disso é fé…)"

Rubem Alves

24 de jan de 2012

Ando cansada de tentar interpretar o mundo e as pessoas... ando cansada de procurar os sete erros. Queria mesmo era ter todas as respostas como em um manual, e a mente ocupada com coisas mais importantes. Perfeito seria um delivery com tele-entrega de soluções... que gorjeta boa eu daria!

23 de jan de 2012





Todos os amores deveriam ser possíveis. Pessoas não deveriam chegar nem antes nem depois. Tudo deveria ser exatidão. Pontualidade vital para que o amor aconteça. A Terra deveria girar com esse único propósito: O encontro das almas. O resto seria resto. E tudo seria pra sempre Brilhar pra sempre. Brilhar como um farol. Brilhar com brilho eterno. Gente é pra brilhar. Esse é o meu slogan. E do sol.


Vladimir Maiakovski

20 de jan de 2012

Que eu possa respeitar opiniões diferentes da minha. Que eu possa me desculpar antes do ódio. Que eu possa escrever cartas de amor de repente. Que eu possa viajar para adorar a distância. Que eu possa voltar para dizer o que não tive coragem. Que eu pense em meu amor ao atravessar a rua. Que eu pense na rua ao atravessar o amor. Que eu dê conselhos sem condenar. Que eu possa tomar banho de cachoeira. Que eu seja a vontade de rir. Que eu possa chorar ao assistir filmes. Que eu não seduza para confundir. Que eu seduza para iluminar. Que eu não sacrifique a confiança pela covardia. Que eu tenha dúvidas, melhor do que certezas e falir com elas. Que eu faça amizades falando do tempo. Que eu possa amar mais sem contar as horas. Que eu use somente as palavras que tenham sentido. Que eu prove a comida nas panelas. Que transforme a raiva em vontade de me entender. Que eu possa soltar os vaga-lumes que prendi em potes. Que eu me lembre de ser feliz enquanto ainda estou viva.

16 de jan de 2012

Eu não sou lá muito normal... eu durmo com o cabelo molhado, eu danço como uma louca no meu quarto, como se o mundo lá fora não existisse. Eu falo alto, eu canto desafinada, eu faço dancinhas malucas que ninguém entende. Se eu for eu vou assim, não vou trocar de roupa, no meu mundo isso é lei. Eu durmo de maquiagem, ando descabelada pela casa, fico o dia todo de uniforme e semanas com o esmalte descascado nas unhas, eu grito com Deus e o mundo, sorrio pras pessoas que eu nem ao menos conheço, passo horas no telefone com as pessoas que gosto de conversar, as vezes eu não escovo o cabelo, ligo á cobrar pros meu pais, mando mensagens de madrugada pras pessoas que sinto falta. Faço um escandalo quando ela entra no msn, como sorvete e chocolate desesperadamente como se o mundo fosse acabar amanhã. Eu me apaixono pelas pessoas erradas, me apego com facilidade, tenho poucos amigos, mas verdadeiros. Choro em filme de romance, paro de ler um livro na metade, tenho dezenas de revistas, meu quarto não é lindo, mas pra mim é o mundo perfeito. Gosto quando alguém me abraça, e gosto de abraçar as pessoas. Completamente louca por música mas com o volume baixo, xingo algumas pessoas em pensamentos, acho que vou esperar pra sempre o amor da minha vida, mas nem por isso vou parar de viver. Gosto do frio e de momentos românticos, gosto de garotas fofas e palavras sinceras. Eu realmente não sou normal, mas o que importa, se é assim que eu sou feliz?

11 de jan de 2012

10 de jan de 2012

Apaixone-se por alguém que te curte, que te espere, que te compreenda mesmo na loucura; por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, tua esperança. Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de uma briga, depois do desencontro, por alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro. Apaixone-se por alguém que sente sua falta e que queira estar com você. Não apaixone-se apenas por um corpo ou por um rosto; ou pela idéia de estar apaixonado. 


De puta, de criança, de maluca. Toda mulher tem um pouco. (…) Mas pelo que tenho visto por aí, toda mulher tem um pouco de tudo. E como é difícil ser feliz com tantos poucos para agradar. Fora os milhares de hormônios que tornam cada um desses poucos mais do que dá para aguentar. E a cada suspiro, meus poucos se atrapalham: estou feliz ou com medo? Estou carente ou encantadaEstou fria ou fugidia? Numa única noite eu fui um pouco tudo, eu quis um pouco de tudo. Quando alguém vai acompanhar meu ritmo? Eu quis que ele não soubesse meu nome, depois quis ter o dele logo depois do meu. Eu quis que ninguém soubesse de tamanha traição. Depois quis gritar na janela como o proibido era sopro no meu coração. Eu quis sentir o poder de abalar com a vida dele. Eu quis ele por uma aventura, uma risada, uma distração. Depois quis o colo dele para sempre, mas fiquei com o meu pouco puta estampado na caraComo eu preciso ser amada meu Deuspra parar de dar de bandeja o meu sorriso por aí. Eu tenho meu pouco criança estampado em cada linha que escrevo e em cada bobeira que falo na espera de atenção. Maluca? Nas raras vezes que sou séria, me sinto tão maluca, que devo ser sempre maluca. De pouco em pouco encho o papo de ansiedade. Quando o muito virá? Eu nunca poderia ser feliz sem meu pouco trágica. Eu nunca posso estar satisfeita sem meu pouco idealista e eu nunca poderei ser mulher porque ainda falta pouco, muito pouco, mas eu sei que sempre faltará. Me completo de poucos, mas sigo esperando demais de tudo. Meu pouco puta, safada, tarada, não tem um pingo de compostura. Meu pouco criança sofre e se diverte com o meu pouco louca. Meu pouco adulta perdoa tudo porque tem total consciência do meu pouco criança. Mas cada pouco espera o grande momento. A grande virada. O longo suspiro de Paz. (…)

7 de jan de 2012

Amém




Que eu saiba puxar lá do fundo do baú um jeito de sorrir pros nãos da vida. Que as perdas sejam medidas em milímetros e que todo ganho não possa ser medido por fita métrica, nem contado em reais. Que as relações criadas sejam honestamente mantidas e seladas com abraços longos. Que eu possa também abrir espaço pra cultivar a todo instante as sementes do bem e da felicidade de quem não importa quem seja, ou do mal que tenha feito pra mim. Que a vida me ensine a amar cada vez mais de um jeito mais leve. Que o respeito comigo mesmo seja sempre obedicido com a paz de quem esta se encontrando e se conhecendo com um coração maior. Um encontro com a paz e o desejo de viver.

4 de jan de 2012

E então que agora cuido bem de mim, do que sinto, faço e agrego. Cuido das minhas pessoas e constantemente penso na importância que elas tem na minha vida. Reajustando-me, adaptando-me e perguntando-me... a partir de agora só será levado em conta o necessário, e desligado o que não tiver importância, abrindo mão sempre que for preciso mas pensando sempre na beleza do verbo permanecer.

3 de jan de 2012

Que moça mais direta essa Guiomar! Ler Machado de Assis sempre me distrai bem...

Retrucou ela, rindo, também.
- Saiba, pois, que sou muito senhora da minha vontade, mas pouco amiga de a exprimir; quero que me adivinhem e obedeçam; sou também um pouco altiva, às vezes caprichosa, e por cima de tudo isso tenho um coração exigente. Veja se é possível encontrar tanto defeito junto!
Machado de Assis

1 de jan de 2012

Não tenho raiva de ninguém, mas minha prioridade agora é uma só. Eu. Podem me chamar de egoísta, eu aceito.