17 de jan de 2011

Amor Próprio



E o acaso sempre funcionando bem comigo, ao ligar a tv hoje, o primeiro programa que apareceu, era um debate sobre amor próprio. E não é que me caiu como uma luva?
Uma das frases dizia: SEJA RESPONSÁVEL PELA SUA VIDA. Tenha  AMOR PRÓPRIO! Se valorize, cuide de si antes de cuidar dos outros. É clichê, eu sei, mas quantas vezes esquecemos essa lição tão básica e vital e deixamos de praticar?
Mas ao mesmo tempo pensando a respeito, parece uma filosofia de boteco. Se me arrependo de alguma vez ter dado o meu amor? Absolutamente não! Amar é sempre válido. Como diz a música "a gente rir e a gente chora", aprendemos e amadurecemos sempre um pouco mais, nos inspiramos em palavras bonitas, palavras tristes, mas sempre sinceras.
"Mas não mereceram o seu amor", quem ta falando em ser amada? Isso não é amor próprio, é reciprocidade, é adestramento, é pegar um ser humano e dizer que toda vez que ele te tratar bem, vai ganhar um ossinho, e o que eu quero é um Amor.
E o amor próprio, aonde fica nessa história toda?
Eu me amo tanto que me permito procurar alguém que eu admire, que eu queira e que me desperte emoções. Então é um conceito um tanto questionador, passaria horas pensando em tudo isso. Afinal, qual o seu verdadeiro significado? Amor próprio, é se amar e não se venerar, é se deixar levar pelas emoções, se conhecer, se doar. Mas pera, isso não tem limite? Claro que tem.
E não ache que escrevo isso porque estou querendo cortar os meus pulsos ou me acabando em sofrimentos e lágrimas. Desculpa, meu mundo já existia antes de você, minha vida também.
Lembra aquele coração que você me deu no começo? Cuide dele, trate bem dele, reserve um lugar especial para alguém e permita que outro faça moradia na sua vida.
Você pode fazer alguém feliz, e isso sim é amor próprio: fazer de você mesmo algo bom para o outro. De que adianta se achar tanto, sem nunca ter ninguém para te dar a certeza? Alguém para lhe trazer também algumas dúvidas para não cair na mesmice.Eu quero é ser feliz, e eu não tenho medo de precisar não ser de vez em quando, é o preço que eu pago, sem esperar pelo troco!

Gostei muito desse conceito encontrado por aí:

Ter amor próprio também requer sermos justos, sermos capazes de olhar para os nossos erros, admitir os obstáculos e arregaçar as mangas para os enfrentar. Quando gostamos de nós mesmos, somos capazes de:

Terminar uma relação quando a pessoa com quem estamos é violenta (física ou emocionalmente);

Mover recursos para progredir na carreira em vez de nos acomodarmos a situações que nos desvalorizam;

Reivindicar as nossas necessidades afetivas;

Pedir ajuda quando não estamos capazes de resolver os problemas sozinhos;

Exteriorizar a tristeza;

Implementar mudanças que contribuam para a nossa saúde física e emocional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário