10 de ago de 2010



Aprendi que minhas delicadezas nem sempre são suficientes para despertar a suavidade alheia, e mesmo assim insisto.

Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário